ALIANÇAFIBRA COM NOVOS PLANOS

ALIANÇAFIBRA COM NOVOS PLANOS
O SEU NOVO PROVEDOR EM TIMBIRAS 100% FIBRA

EM TIMBIRAS TEM "W CELL"

EM TIMBIRAS TEM "W CELL"
ASSISTENCIA TECNICA EM CELULARES

segunda-feira, 5 de abril de 2021

LETRAS - HISTÓRIAS DOS CARNAVAIS DE TIMBIRAS DA ESCOLA DE SAMBA ALCATEIA

ENCANTOS E MAGIAS EM CODÓ   ( Enredo-Alcateia-1990)
Autor: Robson Alvim e Rossini Galvão
Puxador: Takuruman
 
Seja bem-vindo a Codó
A terra da sedução
Ologum, oxum, oxossi
Saúdam Bita de Barão
Oi Que sois Rei,
Que sois Rei, que sois Rei
No templo dos orixás
Yemanjá, Yemanjá
Traz rosas brancas lá do mar
Ô Yansã
Yansã chegou
Trazendo amor e alegria
Mestre Ogum pintou
Com seu tambor
E a Pomba-Gira
Maria Raimunda e Caetano
Vem de Timbiras
Trazer banho de cheiro
Abre o terreiro ô
Abre o terreiro
É festa, é povo é raça
No congado brasileiro
Ó Maria, ó Maria
Ó Maria Piauí
Vem no véu da meia-noite
Alegrando o Patropi
Tem oferendas ôn
Na encruzilhada
Olha eu vi um Bode preto
No meio dessa Estrada
Incredo Cruz, vige Maria
Preto velho já dizia é Alcateia
Saravá.

CARNAVAL, ILUSÃO DE UM POVO (Enredo-ALCATEIA-1986)
Autor: Robson Alvim
Puxador:Robson
 
Vem meu amor ô ô ô
Se entregar a euforia
Ecoou o grito forte da razão
Quem sangrou o Ano inteiro
Pelo solo brasileiro
Cada gota de suor
Há de ser
Um rio pleno de beleza
Que inundará toda tristeza
Fazendo o povo sambar
Eu sou da terra
Eu sou do mar
Eu sou da brisa
Sou de Timbiras õ
Sou de Timbiras
E nesse mundo encantado eu vou
Vou de encontro a ilusão
Hoje sou rei, sou pirata, sou menino
Estampado no sorriso
Na Alegria do fofão
A colombina coitada chorou
Quando foram lhe dizer-lhe dizer
Que o seu pierrô apaixonado
Com o Arlequim abraçado
Não puderam se conter
E foram correndo a passarela
Pra vê a Alcateia no samba cair
Vem pra Avenida
Chegou a hora
Quem samba fica
Quem não samba vai embora.


CUPIDO FLEXOU ALCATEIA
( Enredo Alcateia -1984)
Autor Robson Alvim e Lilico
Puxador:Robson

Abre alas meu povo e deixa
Passar um coração
É Alcateia que chega
Espantando a tristeza
Trazendo o amor e a paixão
Quem ama
Nunca mais esquece
Aí amor se eu pudesse
Viver sem você
Faça chuva ou faça sol
Seja noite de luar
Meu amor eu vou correndo
Logo pra te encontrar
Qualé fofão...
Qualé fofão
Para que tanta tristeza
Deixa essa menina de mão
Segure seu coração
Que ela virá com certeza
Quero ressaltar
A minha terra querida Timbiras
É que foi lá que eu amei
A primeira namorada
E hoje com suas lindas garotas
Deixando água na boca
Pois já sabem o que é o amor
Ô ô ô ô ô
Ô ô ô ô ô
Vem meu amor
Me dá um beijo na boca
Que eu já vou.


10 ANOS DE ALCATEIA
(Enredo de 1987)
Autor: Robson Alvim
Puxador:Robson

Hoje a brisa veio e me levou
Pra esquecer o dissabor
Na passarela
E contagiando corações
Carregando multidões
Vem minha querida Alcateia
Ô graças a Deus
Que hoje tudo está em festa
O povão se manifesta
Vamos todos festejar
Seus 10 anos de existência
Contra a fome, a violência
Césio, Aids, Marajás
Vejam como o tempo voa
Meu Deus, aí meu Deus
Até parece que foi ontem
Se ir ao passado é sofrer
Por duas vezes
Eu quero ser um sofredor
E reviver a Fantasia
Nesse trem da Alegria
E voltar tudo outra vez
Caí no pôço
Quem me tira
Remam, Reman
Só se for de Timbiras
Ó saudade!
Tenha dó de mim
Quanta maldade
Não seja tão ruim
Liberdade!
abre as asas sobre nós
Me deixa então voar
Nas asas da ilusão
E transbordar minha emoção

SÃO SEBASTIÃO, UM PASSADO ESQUECIDO (samba enredo da Escola de Samba ALCATEIA-1985)
Autor: Robson Alvim
Puxador: Robson
               
Outra vez estou aqui
E desta feita
Vim trazer meu coração
Vermelho, Preto e Branco
Colorindo
ALCATEIA vai subindo
Ao Bairro São Sebastião
Como vai meu Querido Bairro
Tu que foste a muito tempos atrás
O único meio transitável
Via de acesso a minha Terra Natal
E hoje tão só e desprezado
Mas não se importe
Dias melhores virão
Estou contigo e não abro
Com Amor te trago
Dentro do meu Coração
Vem comigo
Vem sambar, vem pular
Vem que é ouro só
Tuas mulatas, tua praia ensolarada
Alegria na chegada
Do trem na estação
Roda gira, gira roda
Faz poeira levantar
Passador me leva embora
Que o trem já vai passar.


O CIRCO
(Enredo-Alcateia-89)
Autor: Robson Alvim
Puxador; Robson

Quem não dará um sorriso
Eu sei que é preciso
Quando o circo chegar primeiro
A fantasia vai pintar
E irá transformar
A avenida em picadeiro
Vermelho e Branco te embalança
Alcateia é criança
E traz o circo até você
Esta imensa ilusão
Que reflete de emoção
Na alegria do povão
Tem trapezista tem
Tem malabarista
Tem equilibrista
E tem domador
No encanto da plateia
A garotada impaciente
A espera do presente
Da alegria maior
Quando surge o palhaço
Saltitando sem parar-sem parar
Na tristeza deu um laço
E fez minha escola cantar
Ô ô ôôô
Vem de lá ô criançada
Que hoje tem marmelada
Pois o circo já chegou


JOÃO DA MALÁRIA e SEBASTIÃO ( Enredo-Alcateia-1991)
Autor: Robson Alvim
Puxador: Fábio

Eu vou, aí amor eu vou
Nos braços da Folia
Alcateia irradia
A Arte, a cultura e a Tradição
E no palco dessa festa
Duas personas modestas
Timbiras traz no Coração
Que maravilha é vê
Todo talento que o artista encantou e desencantou
João da Malária
Tua linha imaginária
Foi Deus que Abençoou
Bumba meu boi
Olha meu boi bumbá
Boi capricho chegou
Chega pra lá e pra cá
A outra personalidade
Que invade a multidão
Trazendo felicidade
Pelas ruas da cidade
É o velho Sebastião
E o seu pistom
Pistom que entoa
Com harmonia
Lindas notas musicais
Quero a Lira nas ruas
Com belas marchinhas
Dos velhos carnavais.
Carnavais tão cheios de saudade
Carnavais que alegram
Meu viver
Retiro meu chapéu
Mil bravos de emoção

 
João da Malária e Sebastião
TINHA QUE DÁ CERTO
(Enredo-Alcateia-1988)
Autor: Robson Alvim e Vila Freitas

Eu tô que tô com essa medida
Alcateia lança seu pacote
Na Avenida
Vou congelar sua tristeza
Levantar o seu astral
A euforia com certeza
Fará toda beleza
Ser inflação no carnaval
Minha alegria não tem preço
Se não tem jeito pra fiscalizar
Traga um pacote
Que o povo vote
Sem colégio eleitoral
Então me corte
Geton é forte
FMI é o tal
Oi Bate-Bate coração
É hoje o dia
Que o povo é presidente
No reino da folia
Mas afinal quem sou eu
Pra querer reivindicar
Sou um pobre lavrador
Sem moradia
Faço o pão de cada dia
E nem tenho onde morar
A esperança então surgiu
Num país tão sonhador
Sou brasileiro
Seu Sarney e seu Funaro
No gatilho do cruzado
Se liga Brasil.

BAILE DE DEBUTANTE
(15 anos da Alcateia-1994)
Autores: Robson Alvim e Vila Freitas

Eu sou a flor
Eu sou mais linda
Eu sou mais bela
Eu sou a musa que pintou
Essa aquarela
Vem sonhar...
Sonhar, sonhar, sonhar
Sonhar nos braços da quimera
Em devaneios Alcateia
Vem debutar com você
Voar, voar, voar
Voar nas asas da Poesia
Deixar fluir toda alegria
No desabrochar de uma flor
Na candura do meu ser
Nessa avenida a valsa vou dançar
Vermelho e branco vou te acender
Tudo que eu quero é te namorar
Amar, amar
Liberada a folia
Tudo é carnaval
São 15 anos viva a Cinderela
Hoje nessa passarela
A vaidosa sou eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.