TIMBIRAS CONTA COM OS SERVIÇOS DA RAD IMAGEM E DA ALIANÇA FIBRA

domingo, 29 de agosto de 2021

Zagueiro narra "momentos de terror" após estrutura de estádio desabar em jogo da Série D; vídeos

Por Emanuele Madeira e Josiel Martins — Teresina


 

O que era para ser uma tarde de felicidade aos jogadores do 4 de Julho, que buscavam a confirmação para a próxima fase da Série D do Brasileiro, se transformou em momentos de susto e pânico. Aos 30 minutos do segundo tempo, o duelo entre Imperatriz e o Colorado estava empatado em 0 a 0, quando iniciou uma forte ventania seguida por chuva, o suficiente para derrubar parte da estrutura da cobertura do estádio Frei Epifânio. Veja no link abaixo o vídeo. 

https://ge.globo.com/pi/futebol/times/4-de-julho/noticia/zagueiro-narra-momentos-de-terror-sobre-vendaval-que-fez-estrutura-de-estadio-desabar-em-jogo-da-serie-d.ghtml

- Nós, jogadores, tivemos que pular o alambrado para sair do campo, acabei caindo, bati a cabeça e a coluna no chão, mas estou bem, não foi nada muito grave. Eu e todo o nosso grupo estamos bem, não aconteceu nada com ninguém, mas foram momentos de terror mesmo – descreveu.  

Gilmar Bahia, capitão Colorado, estava em campo quando o vento forte iniciou.

A forte chuva, seguida por raios, interrompeu as transmissões ao vivo dos veículos de imprensa que cobriam no local a partida. Depois, a cobertura veio abaixo. Placas metálicas da estrutura foram parar no gramado com a força da ventania.

Ninguém se feriu. Não havia torcedores no estádio devido às restrições de público por conta da Covid-19.

O Corpo de Bombeiros chegou minutos depois ao estádio, concentrou jogadores, comissão técnica e os envolvidos no jogo no centro do gramado para atestar as condições de segurança do local. O Frei Epifânio foi isolado.

Sobre o jogo, os clubes tiveram posicionamentos diferentes do resultado da partida. O 4 de Julho informou que o árbitro encerrou a partida e considerou o empate em 0 a 0. Essa situação classifica com antecedência o Colorado ao mata-mata da Série D. Em nota, o Imperatriz disse que vai aguardar o posicionamento da CBF.

Na súmula do jogo, o árbitro Renan Novaes (MS) descreveu que a partida foi paralisada aos 30 minutos e 48 segundos da etapa final depois da cobertura ter caído.

No documento, a arbitragem registrou que o Corpo de Bombeiros relatou não ter condições de reiniciar o duelo. A parte elétrica do estádio ficou danificada.

Pelo Regulamento Geral de Competições, o resultado de um jogo é validado em partidas interrompidas após os 30 minutos do segundo tempo, prevalecendo o placar daquele momento.




 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.