MERCEARIA SILVA

MERCEARIA SILVA
ECONOMIZANDO COM VOCÊ

OIFEODONTO 1 ANO

OIFEODONTO 1 ANO
LOJAS TROPICAL - MANIA DE PREÇOS BAIXOS

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Mais um jovem comete suicídio em Timbiras, em menos de onze dias.

LUTO - Nadson Eduardo
Timbiras – Casos de suicídios vem aumentando no município, hoje mais um jovem tirou a própria vida no bairro Forquilha. Somente este mês dois casos de desespero foram registrados, No ultimo dia 12/02, um rapaz cometeu suicídio também.

O jovem de aproximadamente 18 anos de idade, identificado por Nádson Eduardo Bastos Da Cunha, foi encontrado morto dentro de seu quarto em sua residência na Rua Manoel Gonçalves de Almeida, bairro Forquilha.

Segundo uma das irmãs do jovem, o rapaz não tinha problemas nenhum com a família e nem com amigos, e a mãe que estava lavando roupa no quintal, ouviu um barulho estranho vindo do quarto do filho, era por volta das 10:00h da manhã dessa sexta-feira (22), ai chamou pelo nome dele e nada dele responder, o pai também bateu na porta e nada, foi ai que o pai buscou a chave reserva e abriu a porta, quando se deparou com a cena triste, o filho com um fio de som em pendurado ao pescoço, e já sem vida.

A família está em choque e até o fechamento dessa matéria, a nossa equipe não teve informações concretas sobre o velório e o sepultamento, mas a qualquer momento divulgaremos maiores informações. Se consolidamos com todos os familiares, nesse momento de muita tristeza e dor.


Quando se fala que suicídio é um problema de saúde pública, isso quer dizer que: interessa a muitos e tem alcance geral; qualquer um pode ter que lidar com isso; é assunto de governo e dever do Estado; e a saúde não está apenas dentro do corpo, ou na intimidade secreta das neuroses, mas é interação. O organismo é aberto e troca sem parar com tudo que o cerca.

As taxas de suicídio são quase quatro vezes maiores para os homens. Por que?

Um ditado dizia que “homem vai ao botequim mas não vai ao médico”. Há vários aspectos que funcionam nessa construção de gênero: dificuldade em pedir ajuda, ilusão de autossuficiência, uso frequente de álcool e drogas, maior afinidade com práticas violentas, pretendido status de líder, provedor ou autoridade, etc. O contraste entre homens e mulheres sugere que o suicídio é um desfecho de transtornos mentais com marcada influência social e cultural. Espera-se que as lutas feministas e de gênero estejam transformando este panorama já antigo.

Segundo a OMS, o Brasil é o oitavo país em número de suicídios. Em 2012, foram registradas 11.821 mortes (6 para cada 100 mil habitantes). Quais fatores mais influenciam nesses desfechos no país?

Sempre há muitos fatores envolvidos. Os problemas de saúde mental estão presentes em mais de 90% dos suicídios no mundo. No adulto, a depressão e o uso de álcool e drogas estão fortemente associados. No jovem também devemos observar com atenção o início da esquizofrenia (ou outras psicoses) e várias formas de violência que desencadeiam distúrbios psiquiátricos, com ansiedade extrema e desespero — abuso sexual, bullying, pânico e estresse pós-traumático são muito importantes. Alguns quadros depressivos são de difícil diagnóstico no adolescente, especialmente o transtorno bipolar do humor. A maconha já é assunto de absoluta conexão com transtornos mentais em adolescentes — seja desencadeando ou produzindo um quadro mental, seja como automedicação “remendada” e perigosa.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.