MERCEARIA SILVA

MERCEARIA SILVA
PUBLICIDADE

OIFEODONTO 1 ANO

OIFEODONTO 1 ANO
CHOPERIA RAMON TUDO DE BOM

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Agricultores atendidos pelo Sistema SAF começam a expandir produção


O Plano ‘Mais IDH’, do Governo do Maranhão, está mudado a vida de milhares de maranhenses que, por várias décadas, foram penalizados com a falta de acesso a políticas públicas e a direitos básicos. Agora, as famílias atendidas pelo plano, em 30 municípios com Menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), vivem um novo momento por meio de atividades executadas em diversos setores.

As ações desenvolvidas pelo Sistema SAF está levando conhecimentos para essas famílias na área de produção e assistência técnica agrícola. A iniciativa está proporcionando aos beneficiados uma nova visão de produção, vinculada ao empreendedorismo.
                                                  
O Sistema de Agricultura Familiar, Sistema SAF, é formado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF), Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp/MA) e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma).

Maria Nunes Pereira, 57 anos, moradora do povoado Belo Monte, em São Francisco do Maranhão, a 603 km de São Luís, está sendo incentivada a criar frangos e produzir hortaliças. “Comecei com 40 frangos. Com a primeira remessa eu me alimentei bem com minha família e, com a segunda, eu investi novamente em aves e ainda vendo os ovos. O meu objetivo é vender os pintos porque um ovo, eu vendo por R$ 0,50 e os pintos vendo a R$ 3,50”, pontuou. Os técnicos do Mais IDH acompanham a família Maria Nunes Pereira e vão construir uma chocadeira artesanal para eles possam expandir a produção. Depois da chocadeira construída, a agricultora estará com um novo empreendimento em pleno funcionamento, já que o ciclo de produção dos pintos é de 22 dias.

No município de Aldeias Altas, no leste do Maranhão, um grupo familiar formado por dois agricultores familiares, quatro filhos e sobrinhos, todos atuando na área da agricultura familiar, estão saindo da dura realidade do povoado Cajazeiras e despertando para novas formas de empreender seu negócio. Antônia Sobrinho, que trabalha na terra há muitos anos, comentou que sente bem as diferenças depois dos incentivos do Governo do Estado. “Nossa vida nunca foi fácil e o pouco que a gente plantava e colhia, dividia para todos nós. A gente sempre trabalhou com a terra e é diferente ver como nossa safra mudou”, afirmou
 
Maria Nunes Pereira, do povoado Belo Monte, em São Francisco do Maranhão, está feliz com a sua produção de frangos
Antônia Sobrinho disse que, antes, a família dela comia o que plantava, colhia e, por isso nunca passavam fome. “Hoje, a gente consegue produzir mais e aprendemos a comercializar e fazer renda com o nosso maxixe, quiabo, hortaliças e, futuramente, pensamos em vender os peixes, que ainda estão pequenos, e as aves. Todos esses produtos são fruto do nosso trabalho e temos orgulho de ter na nossa terra. Somos abençoados por tudo isso que se abriu na vida da gente”, comemorou ele que teve sua família contemplada com as ações do Plano Mais IDH.

Para o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, a atual gestão do Governo do Estado trabalha para quem mais precisa. Ele explicou que o Sistema SAF atua de forma articulada. O objetivo é proporcionar aos agricultores familiares do Maranhão dignidade e qualidade de vida. “Além do acompanhamento técnico, os agricultores dos municípios, amparados pelo Plano Mais IDH, estão recebendo barracas com estrutura adequada para comercialização e capacitação sobre gestão e higiene”, afirmou.

Adelmo Soares afirmou que o Sistema SAF está acompanhando os detalhes dos incentivos proporcionados pelo Governo do Estado aos produtores. “Nós os acompanhamos desde a assistência técnica até a comercialização. Governador Newton Bello e Santa Filomena foram os primeiros municípios do Plano a comercializar o excedente da produção. Com assistência técnica permanente e contínua dos técnicos da Agerp, os agricultores, antes absolutamente esquecidos, começaram a transformar sua vida. Recebem fomento, produzem e agora começam a empreender. É essa transformação que estamos realizando na Agricultura Familiar do Estado do Maranhão”, destacou.

Segundo o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, os técnicos que acompanham as três mil famílias já instalaram 2.337 Sistemas Integrados de Tecnologias (Sistecs), sendo 507 Sisteminhas, tecnologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Embrapa) que consiste na criação de aves e peixes, cultura de hortaliças e produção de minhocário. Além disso, já foram cadastradas mais cinco mil famílias beneficiadas pelo Acordo de Cooperação técnica (ACT), firmado entre Sistema SAF e Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), que vai atender mais seis mil famílias, totalizando nove mil famílias atendidas.

Pano Mais IDH

Abrangendo os 30 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano do Maranhão, o Plano Mais IDH foi anunciado pelo Governo do Estado como uma ferramenta para promover a redução da extrema pobreza e das desigualdades sociais no meio urbano e rural, combatendo o déficit de justiça social, além de provocar e estimular o debate sobre matriz de desenvolvimento, territorialidade e planejamento participativo.

Os 30 municípios da área de abrangência do Plano Mais IDH são Afonso Cunha, Água Doce do Maranhão, Aldeias Altas, Amapá do Maranhão, Araioses, Arame, Belágua, Brejo de Areia, Cajari, Centro Novo do Maranhão, Conceição do Lago-Açu, Fernando Falcão, Governador Newton Bello, Itaipava do Grajaú, Jenipapo dos Vieira, Lagoa Grande do Maranhão, Marajá do Sena, Milagres do Maranhão, Pedro do Rosário, Primeira Cruz, Santa Filomena do Maranhão, Santana do Maranhão, Santo Amaro do Maranhão, São Francisco do Maranhão, São João do Caru, São João do Sóter, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto, Satubinha e Serrano do Maranhão.

Entre os 23 projetos do Mais IDH desenvolvidos, atualmente, estão os executados nas áreas de educação, saúde e qualidade de vida, produção, renda e gestão, cidadania e participação social. Destacam-se o Programa Escola Digna, a Força Estadual de Saúde (Fesma) e os Sistemas Integrados de Tecnologias Sociais (Sistecs ou Sisteminhas) da Agricultura Familiar.

Fonte: SAF          Texto: Claudilene Maia e Júlia Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages